Dentro e fora dos muros: residenciais fechados e segregação socioespacial em cidades não metropolitanas

  • Patricia Helena MILANI UNESP
  • Eda Maria GÓES UNESP

Abstract

O processo de segregação socioespacial é analisado a partir de suas dimensões objetivas e subjetivas, em que os muros dos residenciais fechados tanto exercem um papel de barreira material, quanto um limite simbólico, que influenciam nas práticas cotidianas dos moradores e na elaboração das subjetividades espaciais. O cotidiano, enquanto unidade de espaço e tempo é nossa escala de análise, que nos permite apreender as heterogeneidades do espaço vivido, engendrando novos sentidos e significados às práticas, que envolvem e elaboram relações contraditórias entre dentro e fora, antes e depois, mudança e permanência, espaço e tempo, apreendidas por meio das narrativas dos moradores, cuja tendência é conformar mais “muros” que “pontes” em relação à cidade e à vida pública.

How to Cite
MILANI, Patricia Helena; GÓES, Eda Maria. Dentro e fora dos muros: residenciais fechados e segregação socioespacial em cidades não metropolitanas. Geosaberes, Fortaleza, v. 6, n. 2, p. 260 - 274, july 2015. ISSN 2178-0463. Available at: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/428>. Date accessed: 30 sep. 2022.

Keywords

Segregação socioespacial; Práticas espaciais; Residenciais fechados; cidades não metropolitanas.