Relevo e produção do espaço na depressão sertaneja meridional, Bahia

  • Raquel de Matos Cardoso do VALE UEFS
  • Irialinne Queiroz RIOS UEFS

Abstract

As depressões periféricas e interplanálticas que se estendem pelos sertões, constituem a maior unidade do relevo baiano. Foram elaboradas pela coalescência de pediplanos e traduzem a história morfoclimática continental. O contexto geográfico em que as terras secas são exploradas ultrapassa sua capacidade de resiliência e conduz à desertificação, processo de fatores múltiplos, complexos, interdependentes, que se retroalimentam e provocam a redução da biodiversidade, comprometendo a sobrevivência das populações. Esta pesquisa objetiva elucidar as relações existentes entre o balanço morfogênese-pedogênese e as dinâmicas da paisagem, enquanto representação bioclimática do semiárido, e inferir em que medida os relevos influenciam na organização social de produção e usos dos solos. Para tanto foram utilizados o modelo digital do terreno e o mapa de vegetação e uso dos solos, que demonstraram que os setores mais rebaixados e planos do relevo são os mais afetados/suscetíveis aos processos de desertificação. 

How to Cite
VALE, Raquel de Matos Cardoso do; RIOS, Irialinne Queiroz. Relevo e produção do espaço na depressão sertaneja meridional, Bahia. Geosaberes, Fortaleza, v. 6, n. 3, p. 203 - 216, july 2015. ISSN 2178-0463. Available at: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/469>. Date accessed: 27 feb. 2021.

Keywords

Uso das Terras, Desertificação, Modelo Digital do Terreno