Da migração sertaneja ao surgimento das favelas: a formação socioespacial e vulnerabilidade em fortaleza, ceará

  • Rachel Vieira de ARAÚJO Universidade Federal do Ceará
  • Maria Clelia Lustosa COSTA UFC

Abstract

Os longos períodos de seca e estiagem contribuíram para a formação e expansão da cidade de Fortaleza. Muitas pessoas migravam buscando apoio do poder público. Na época ocupavam áreas públicas ou privadas desvalorizadas pelo setor imobiliário, originando as primeiras favelas em Fortaleza. Entre 1930 e 1950 surgiram várias favelas, como o Pirambu, no litoral oeste, Mucuripe, no litoral leste e o Lagamar, nas margens do rio Cocó. Muitas dessas ocupações resistem até os dias atuais e se encontram nas chamadas áreas de vulnerabilidade social e/ou ambiental. A partir do Índice de Vulnerabilidade Social-IVS, que utiliza as variáveis de renda, educação e qualidade da habitação, identificamos as áreas de alta vulnerabilidade social, que coincidem a vulnerabilidade ambiental. Percebemos que algumas áreas de favelas que surgiram a partir da migração, coincidem com áreas de alta vulnerabilidade social nos dias atuais.

How to Cite
ARAÚJO, Rachel Vieira de; COSTA, Maria Clelia Lustosa. Da migração sertaneja ao surgimento das favelas: a formação socioespacial e vulnerabilidade em fortaleza, ceará. Geosaberes, Fortaleza, v. 6, n. 3, p. 585 - 598, july 2015. ISSN 2178-0463. Available at: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/495>. Date accessed: 27 feb. 2021.

Keywords

Vulnerabilidade social; expansão urbana, migração; favela