Do caminho de canoa às escadas dos arranha-céus: avenida eduardo ribeiro, manaus, amazonas

  • Lupuna Corrêa de SOUZA Universidade Federal do Amazonas
  • José Aldemir de OLIVEIRA UFAM

Abstract

O lugar que é hoje uma das principais avenidas da área central de Manaus era no século XIX o Igarapé do Espírito Santo, por onde transitavam as canoas que vinham do Rio Negro à cidade. Na segunda metade do século XIX com o início do apogeu da borracha, vários igarapés da área central foram aterrados, dentre os quais, aquele que passaria a comportar a Avenida Eduardo Ribeiro. Esse apogeu fez com que retomado o processo de crescimento da cidade com a implantação da Zona Franca de Manaus a avenida se tornasse palco do início da verticalização na cidade, onde prédios do século XIX são demolidos para dá origem a edifícios. A partir de pesquisa bibliográfica e de estudos “in loco” busca-se reconstituir o papel que a Avenida Eduardo Ribeiro teve na dinâmica da produção do espaço urbano na cidade, a partir da instalação da Zona Franca de Manaus.

How to Cite
SOUZA, Lupuna Corrêa de; OLIVEIRA, José Aldemir de. Do caminho de canoa às escadas dos arranha-céus: avenida eduardo ribeiro, manaus, amazonas. Geosaberes, Fortaleza, v. 6, n. 3, p. 530 - 540, july 2015. ISSN 2178-0463. Available at: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/500>. Date accessed: 27 feb. 2021.

Keywords

Manaus; Verticalização; Ruas e avenidas.