Territorialidade das catadoras de mangaba no litoral sul de sergipe

  • Eline Almeida SANTOS UFS
  • Rosemeri Melo e SOUZA UFS

Abstract

O estudo tece um debate sobre a territorialidade das catadoras de mangaba do litoral sul sergipano. A metodologia esteve embasada nos métodos de análise integrada da paisagem e fenomenológico, que por meio de levantamento bibliográfico e pesquisa de campo possibilitou a leitura do espaço geográfico sobre um plano de atributos físicos e enquanto espaço das experiências vividas. A participação da mulher no extrativismo da mangaba é dominante, pois esta integra todas as etapas da atividade (da coleta a comercialização). Entretanto, o seu trabalho é visto como complementar mesmo constituindo uma parcela significativa da renda familiar. As catadoras de mangaba enfrentam uma dupla invisibilidade: face ao ambiente (ser tradicional) e face ao gênero (ser mulher). Porém, essa mulher se faz rebelde ao construir uma identidade específica na sua territorialidade; ao se afirmar no território se fortalece e disputa o poder que lhes é negado.

How to Cite
SANTOS, Eline Almeida; SOUZA, Rosemeri Melo e. Territorialidade das catadoras de mangaba no litoral sul de sergipe. Geosaberes, Fortaleza, v. 6, n. 3, p. 629 - 642, july 2015. ISSN 2178-0463. Available at: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/507>. Date accessed: 27 feb. 2021.

Keywords

Territorialidade. Trabalho feminino. Mangaba.