A geografia no plano de estudos das escolas itinerantes: os conceitos de meio e trabalho como fundamentos da formação humana

Resumo

O artigo caracteriza o Plano de Estudos das Escolas Itinerantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e avalia a participação da Geografia na proposta curricular. A investigação segue os pressupostos teórico-metodológicos da pesquisa bibliográfica e documental. A proposta dos “Complexos de Estudo” da Escola Itinerante é fundamentada em Pistrak (2009), na experiência educacional soviética. Essa, é embasada no materialismo histórico e dialético. O conceito de meio é o ponto de partida para o trabalho pedagógico. O conceito de trabalho é entendido como socialmente necessário, no sentido amplo de atividade humana criadora, portanto, do espaço do homem. Os conteúdos escolares de Geografia participam, praticamente, de todas as Unidades Complexos e contribuem, sistematicamente, para a formação humana integral almejada pela proposta.

Biografia do Autor

Valdivânia Pereira Barbosa, Secretaria de Estado da Educação do Paraná, Brasil

Professora da Educação Básica da Rede Pública do Estado do Paraná. Mestranda do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Estadual do Centro-Oeste – UNICENTRO.

Referências

BARRETTO, E. S. de S. Tendências recentes do currículo no ensino fundamental no Brasil. In: BARRETTO, E. S. de S. (Org.). Os currículos do Ensino Fundamental nas Escolas Brasileiras. São Paulo: Autores Associados, 1998.
CALDART. R. S. Pedagogia do Movimento e Complexos de Estudo. In: SAPELLI, M. L. S.; FREITAS, L. C.; CALDART, R. S. Caminhos para transformação da escola 3: organização do trabalho pedagógico nas escolas do campo: ensaios sobre Complexos de Estudo. São Paulo: Expressão Popular, 2015.
DALMAGRO, S. L., BAHNIUK, C., CAMINI, I. Escola Itinerante do MST: 20 anos de aprendizados na luta. In: Germinal: Marxismo e Educação em Debate. Salvador, v. 9, n. 2, p. 168-184, ago. 2017.
FARIAS, A. N.; MARIANO, A. S.; MARTINS, F. J.; KNOPF, J. F.; HOELLER, S. C. In: SAPELLI, M. L. S.; FREITAS, L. C.; CALDART, R. S. Caminhos para transformação da escola 3: organização do trabalho pedagógico nas escolas do campo: ensaios sobre Complexos de Estudo. São Paulo: Expressão Popular, 2015.
FERNANDES, B. M. In: CALDART, R. S. et al. (Orgs.). Dicionário de Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. p.496-500.
FREITAS, L. C.b A luta por uma pedagogia do meio: revisitando o conceito. In: PISTRAK, M. M. A escola-comuna. 1 Ed. Tradução de Luiz Carlos de Freitas e Alexandra Marenich. São Paulo: Expressão Popular, 2009.
______. A Escola Única do Trabalho: explorando os caminhos de sua construção. In: CALDART, R. S. (Org.). Caminhos para a transformação da escola: reflexões desde práticas da licenciatura em educação do campo. São Paulo: Expressão Popular, 2011.
______. Formação de quadros técnicos ou formação geral? Riscos de um falso dilema para o MST. In: CALDART, R. S.; STEDILE, M. E.; DAROS, D. (Orgs.). Caminhos para transformação da escola 2: agricultura camponesa, educação politécnica e escolas do campo. São Paulo: Expressão Popular, 2015. p. 221-237.
GONÇALVES, L. D.; PALUDO, C. Do trabalho socialmente necessário ao politecnismo a partir de Viktor Shulgin: fundamentos de uma experiência educativa revolucionária. Trabalho necessário. Rio de Janeiro, RJ. Vol. 13, n. 21,2015, p. 27-47.
KOLLING, E. J.; VARGAS, M. C.; CALDART, R. S. MST e Educação. In: CALDART, R. S. et al. (Orgs.). Dicionário de Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. p.500-507.
MARIANO, A. S. Ensaios da escola do trabalho no contexto das lutas do MST: a proposta curricular dos ciclos de formação humana com complexos de estudo, nas escolas itinerantes do Paraná. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual do Centro-Oeste, Programa de Pós-Graduação em Educação, área de concentração em Educação (Linha de Pesquisa: Políticas Educacionais, História e Organização da Educação), 2016.
MEDEIROS, L. S. Latifúndio. In: CALDART, R. S. et al. (Orgs.). Dicionário de Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012. p. 445-451.
MOREIRA, R. O pensamento geográfico brasileiro: as matrizes clássicas originárias. São Paulo: Contexto, 2008, vol. 1.
MST. Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Plano de Estudos. Escola Itinerante do Estado do Paraná. 1ª Ed. Cascavel, Paraná: Unioeste, 2013.
MST. Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Nossa história. Disponível em: http://www.mst.org.br/nossa-historia/hoje Acesso em: 06 mar. 2018.
PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Diretrizes Curriculares da Educação Básica. Geografia. Curitiba: SEED, 2008.
PISTRAK, M. M. A Escola Comuna. São Paulo: Expressão Popular, 2009.
PONTUSCHKA, N. N.; PAGANELLI, T. I.; CACETE, N. H. Para ensinar e aprender Geografia. São Paulo: Cortez, 2009.
SANTOS, M. Por uma geografia nova. Da crítica da Geografia a uma Geografia Crítica. 3ª Ed. São Paulo: Hucitec, 1986.
______. A natureza do espaço. Técnica e tempo, razão e emoção. 2ª Ed. São Paulo: Hucitec, 1997
SAPELLI, M. L. S. Escola do campo – espaço de disputa e de contradição: análise da proposta pedagógica das escolas itinerantes do Paraná e do Colégio Imperatriz Dona Leopoldina. Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências da Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Florianópolis, 2013.
______. Escola Itinerante: espaço de disputa e contradição. Educar em Revista, nº 55, p. 129-143, jan./mar. 2015. Editora UFPR.
SORRE, M. A geografia humana (Introdução). GEOgraphia. v. 5, n. 10, 2003.
SHULGIN, V. N. Rumo ao Politecnismo. São Paulo: Expressão Popular, 2013.
Publicado
05/09/2018
Como Citar
BARBOSA, Valdivânia Pereira. A geografia no plano de estudos das escolas itinerantes: os conceitos de meio e trabalho como fundamentos da formação humana. Geosaberes, Fortaleza, v. 9, n. 19, p. 1 -15, set. 2018. ISSN 2178-0463. Disponível em: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/677>. Acesso em: 17 nov. 2018. doi: https://doi.org/10.26895/geosaberes.v9i19.677.
Seção
ARTIGOS