Análise das diferenças florísticas e os diferentes tipos de solo das rodovias AM 330 e AM 363, em Silves e Itapiranga, Amazonas

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo principal, descrever as diferenças nas tipologias da vegetação no Município de Silves-Amazonas e a relação destas com o tipo de solo, no entorno das rodovias AM-330 e AM-363. Em campo foi observado que a paisagem de Silves é composta por dois tipos principais de vegetação: a Ombrófila Densa e a Campinarana. Assim, a pesquisa foi executada a partir do levantamento bibliográfico relativo à área, pesquisa de campo para caracterização da vegetação e solo, atividade de laboratório para análise e interpretação das imagens de satélite e o tratamento das amostras de solo. Os resultados apresentaram que a vegetação predominante é o da Ombrófila Densa, que se desenvolve em sua maior parte sobre o Latossolo Amarelo e de forma secundária, a vegetação de Campinarana, a qual se desenvolve sobre o Espodossolo. Na área com ocorrência de Latossolo, a ocupação é mais intensa e percebeu-se o desenvolvimento de voçorocas. Nas duas outras classes de solo, a ocupação é em menor escala e não se verificou o desenvolvimento de voçorocas.

Biografia dos Autores

Nádia Rafaela Pereira de Abreu, Universidade Federal do Amazonas, Brasil

Mestre em Geografia pelo Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Antonio Fábio Sabbá Guimarães Vieira, Universidade Federal do Amazonas, Brasil

Professor do Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Referências

AB’SÁBER, A. N. Geografia e planejamento. Revista de História, São Paulo, v. 39, n. 80, p. 257-272, 1969.

______. Amazonia Brasileira: um macro domínio. Rio de Janeiro: Alumbramento, 1993.

______. O Dominio Morfoclimático Amazônico. In: ______. Leituras indispensáveis. São Paulo: Ateliê Editorial 2000.

BRASIL, Departamento Nacional de Proteção Mineral, Projeto RADAMBRASIL. Folha S.A-21 Santarém. Geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação e uso da terra, Rio de Janeiro, 1976.

BRASIL, Departamento Nacional de Proteção Mineral, Projeto RADAMBRASIL. Folha S.A-21 Santarém. Geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação e uso da terra, Rio de Janeiro, 1978.

CHISTOFOLLETI, A. As teorias geomorfológicas. In: Noticias Geomorfológicas, Campinas, 1973.

EMBRAPA. Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solos (Belém-PA). Avaliação da Aptidão Agrícola do Município de Silves – Estado do Amazonas. Belém, 2003.

GONÇALVES, C.W.P. Amazônia, Amazônias. Contexto, São Paulo, 2001.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Manual Técnico de Geomorfologia, 2009.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – Censo de 2010.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Manual Técnico Vegetação, São Paulo, 2012.

LEPSCH, Igo F. 19 Lições de Pedologia. São Paulo: Oficina de Textos, 2011. p. 341-364.

ROSS, Sanches Luciano Jurandir. Geografia do Brasil. São Paulo: USP, 1998.

SOARES FILHO, Britaldo Silveira. Análise de Paisagem: Fragmentação e mudanças. Belo Horizonte: Instituto de Geociências da UFMG, 1998.

SALATI, Enáeas. Modificações da Amazônia nos ultimos 300 anos: suas consequências sociais e ecológicas In: BRITO, Sergio de Salvo. Desafio Amazônico o futuro da civilização dos trópicos. Brasília: Editora Universidade de Brasília/CNPq, 1990.

SELBY. M.j. Hillslope Materials e processes. London: Oxford, 1982.

SUERTEGARAY, D. M.A. Geografia Física (?) Geografia Ambiental (?) ou Geografia e Ambiente (?). In: MENDONÇA, F. Elementos de Epistemologia da Geografia Contemporânea. Curitiba: UFPR, 2005.

VIEIRA, A. F. G. Desenvolvimento e distribuição de voçorocas em Manaus (AM): principais fatores controladores e Impactos urbano-ambientais. (Tese de Doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, 2008.
Publicado
01/05/2019
Como Citar
ABREU, Nádia Rafaela Pereira de; VIEIRA, Antonio Fábio Sabbá Guimarães. Análise das diferenças florísticas e os diferentes tipos de solo das rodovias AM 330 e AM 363, em Silves e Itapiranga, Amazonas. Geosaberes, Fortaleza, v. 10, n. 21, p. 1 - 12, maio 2019. ISSN 2178-0463. Disponível em: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/720>. Acesso em: 25 maio 2019. doi: https://doi.org/10.26895/geosaberes.v10i21.720.
Seção
ARTIGOS