SOCIO-SPATIAL DYNAMICS AND NEW TERRITORIAL CONFIGURATIONS: THE URBAN DYNAMICS OF RIDE - GRANDE TERESINA

Abstract

The transformations caused by the socio-spatial dynamism implies the emergence in the Brazilian urban network of new territorial configurations, such like: the metropolis, the scattered cities, the urban basins, the agglomerations urban, among others. Within that universe, the focus of analysis of this work was the so-called Integrated Economic Development Regions (RIDE), more specifically the RIDE - Grande Teresina. The purpose of the research is to analyze the urban dynamics of said arrangement, since it has characteristics different from those undertaken in metropolitan spaces. To reach our objective we base the discussions based on the following authors: Corrêa (2011); Lencioni (2011); Ferreira (2016); Moura (2012); Limonad (2007); Gurgel (2017); Egler (2010), among others. The studies done were also evaluated on the evolution of the Brazilian urban network, such as: IPEA (2002); IBGE (2008, 2013 and 2016) and Observatorio de las Metropolis (2004). Also, the results of the Integrated Region. We show that the urban evolution of the RIDE It presents an urban dynamic governed by the regional capital (Teresina) with a low integration between the federated entities that compose it, and also, highlights the divergence between the socio-spatial process and the institutional process of the RIDE.

Author Biography

José Maria Marques de Melo Filho, Federal University of Paraná (UFPR), Brazil

Doctoral Student of the Postgraduate Program at the Federal University of Paraná (UFPR)

References

ASCHER, F. Metápolis ou l’avenir des villes. Paris: Odile Jacob, 1995. 240p.

CODEVSAP. Companhia de Desenvolvimento dos Vales do Parnaíba e São Francisco. Plano de Ação Integrado e Sustentável para a RIDE Grande Teresina. Produto II: Diagnóstico Situacional Participativo. 2013. Disponível em: < https://docplayer.com.br/13435126-Plano-de-acao-integrado-e-sustentavel-para-a-ride-grande-teresina-produto-ii-diagnostico-situacional-participativo.html>. Acesso em: 15 mar. 2019.

CORRÊA, R. L. As pequenas cidades na confluência do urbano e do rural. GEOUSP Espaço e Tempo. n. 30, p. 5-12. 2011. Disponível em: < http://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74228/77871>. Acesso em 18 out. 2018.

______. Estudos sobre a rede urbana. Rio de Janeiro: Bertrand brasil, 2006. 332p.

EGLER. Claudio A. G. Apontamentos sobre a rede urbana e políticas públicas. In: MATOS, Ralfo; WEBER, Soares (Orgs.). Desigualdades, redes e espacialidades emergentes no Brasil. 1 ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2010. p. 91-114.

FERREIRA, A. Caminhando em direção à metropolização do espaço. Geousp – Espaço e Tempo (Online), v. 20, n. 3, p. 441-450. 2016. Disponível em: < http://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/123824/124664>. Acesso em: 22 abr. 2019.

FIRKOWSKI, O. L. C. Por que as Regiões Metropolitanas no Brasil são regiões mais não são metropolitanas. Revista Paranaense de Desenvolvimento. n. 122, p. 19-38. 2012. Disponível em: http://www.ipardes.pr.gov.br/ojs/index.php/revistaparanaense/article/view/465/700>. Acesso em: 26 abr. 2019.

GOTTMANN, J. Megalopolis: the urbanized northeaster seaboard of the United States. New York: The Twentieth Century Fund., 1961. 810p.

GURGEL, A. P. C. As metrópoles do interior do Nordeste: a caracterização de um tipo metropolitano regional. Cadernos Metrópole, v. 19, n. 40, p. 841-864. 2017. Disponível em: . Acesso em: 22 abr. 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Arranjos populacionais e concentrações urbanas no Brasil. IBGE. Coordenação de Geografia. 2. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2016. Disponível em: < https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv99700.pdf>. Acesso em 20 set. 2018.

______. Divisão Urbano-Regional. IBGE. Coordenação de Geografia. Rio de Janeiro: IBGE, 2013. Disponível em: < ftp://geoftp.ibge.gov.br/organizacao_do_territorio/divisao_regional/divisao_urbano_regional/documentacao/divisao_urbano_regional_apresentacao_do_trabalho.pdf.>. Acesso em: 20 de set. 2018.

______. Censo Demográfico 2010. Coordenação de Geografia. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

______. Região de Influência das cidades 2007 (REGIC). Coordenação de Geografia. Rio de Janeiro: IBGE, 2008. Disponível em: < https://www.mma.gov.br/estruturas/PZEE/_arquivos/regic_28.pdf>. Acesso em: 20 set. 2018.

IPEA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Configuração atual e tendências da rede urbana do Brasil. Brasília. (Série caracterização e tendências da rede urbana do Brasil, 1). Convênio IPEA, IBGE, UNICAMP/IE/NESUR, IPEA. 2002. Disponível em: < http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livro_caracterizacao_tendencias_v01.pdf>. Acesso em: 20 set. 2018.

LENCIONI, S. A metamorfose de São Paulo: o anúncio de um novo mundo de aglomerações difusas. Revista Paranaense de Desenvolvimento. v. 120, p. 133-148, 2011. Disponível em:< http://www.ipardes.pr.gov.br/ojs/index.php/revistaparanaense/article/view/176/672>. Acesso em: 20 set. 2018.

______. Metrópole, Metropolização e Regionalização. São Paulo: Consequência, 2017. 262p.

LIMONAD, E. Nunca Fomos Tão Metropolitanos! In: Nestor Goulart Reis; Martha S. Tanaka. (Org.). Brasil - Estudos sobre Dispersão Urbana. 1ed.São Paulo: Via das Artes - FAPESP, v. 1, p. 183-212, 2007.

MOURA, R. A dimensão urbano-regional na metropolização contemporânea. EURE (Santiago), Santiago, v. 38, n. 115, p. 5-31. 2012. Disponível em: < https://scielo.conicyt.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0250-71612012000300001>. Acesso em: 20 de mar. 2019.

OBSERVATÓRIO DAS METROPOLES. Analise das Regiões Metropolitanas do Brasil: identificação dos espaços metropolitanos e construção de tipologias. Rio de Janeiro: Observatório. 2004. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2018.

SASSEN, S. El reposicionamiento de las ciudades y regiones urbanas en una economía global: ampliando las opciones de políticas y gobernanza. EURE (Santiago), 33(100), 9-34. 2007.Disponível em:< https://dx.doi.org/10.4067/S0250-71612007000300002>. Acesso em 12 jan. 2019.

SCOTT, A.; Agnew, J.; Soja, E. e Storper, M. Cidades-regiões globais. Espaço e Debates: Aliança e competição entre cidades. São Paulo, n. 41, 11-25, 2001.

SOJA. E. W. Postmetropolis: Critical Studies of Cities and Regions. Oxford: Blackwell Publishing, 2000. 440p.
Published
07/06/2020
How to Cite
MELO FILHO, José Maria Marques de. SOCIO-SPATIAL DYNAMICS AND NEW TERRITORIAL CONFIGURATIONS: THE URBAN DYNAMICS OF RIDE - GRANDE TERESINA. Geosaberes, Fortaleza, v. 11, p. 395 - 405, june 2020. ISSN 2178-0463. Available at: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/926>. Date accessed: 27 sep. 2020. doi: https://doi.org/10.26895/geosaberes.v11i0.926.
Section
ARTICLES