SEMI-ARID LANDSCAPES AND DESERTIFICATION: GEOBIOPHYSICAL INDICATORS OF RELIEF, CLIMATE AND WATER RESOURCES IN THE HYDROGRAPHIC SUB-BASIN OF RIO FIGUEIREDO, CEARÁ

Abstract

Since Desertification, par excellence, is a serious environmental problem of drylands, this study aims to analyze the susceptibility to Desertification in the Figueiredo River sub-basin, Ceará state, from the geobiophysical indicators of climate, relief and water resources. For this purpose, the geosystemic analysis in hydrographic basins and the geobiophysical indicators of Desertification by Abraham and Beekman (2006) adapted by Oliveira (2012) were adopted as a theoretical-methodological basis. As for the procedures adopted, a literature review, collection and analysis of secondary data, surveys and elaboration of cartographic products and fieldwork were carried out. The behavior of each indicator was investigated, together in the environmental systems of the sub-basin, indicating variations in susceptibility from low and from moderate to very high.

Author Biographies

Anny Catarina Nobre de Souza, State University of Rio Grande do Norte (UERN), Brazil

Graduated in Geography and Master’s in Planning and Territorial Dynamics of the Semi-Arid Region (PLANDITES) at the State University of Rio Grande do Norte (UERN).

Sérgio Domiciano Gomes de Souza, State University of Rio Grande do Norte (UERN), Brazil

Graduated in Geography and Master's in Planning and Territorial Dynamics of the Semi-Arid Region (PLANDITES) at the State University of Rio Grande do Norte (UERN)

Maria Losângela Martins de Sousa, State University of Rio Grande do Norte (UERN), Brazil

Professor of the Geography course and the Graduate Program in Planning and Territorial Dynamics of the Semi-Arid Region (PLANDITES), at the State University of Rio Grande do Norte (UERN).

References

ABRAHAM, E. M.; BEEKMAN, G. B. Indicadores de la Desertificación para América del Sur. Mendonza: Editorial Martín Fierro, 2006.

ABRAHAM, E. M; MONTAÑA, E.; TORRES, L. Procedimiento y marco metodológico para la obtención de indicadores de desertificación en forma Participativa. In: ABRAHAM, E. M. e BEEKMAN, G. B. Indicadores de la Desertificación para América del Sur. Mendonza Editorial Martín Fierro: 2006. p. 37-64.

ABRAHAM, E. M.; MATALLO, H.; LIMA, J. R. de. Ciencia y desertificación en América Latina. Revista Zonas áridas, Lima – Perú, v. 15, n. 2, p. 349-360. 2013. Disponível em: . Acesso em: 01 setembro 2020. http://dx.doi.org/10.21704/za.v15i2.124.

AB’SÁBER, A. N. Caatingas: o domínio dos sertões secos. In: Os domínios de natureza no Brasil: potencialidades regionalistas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003. p. 83-101.

ANDRADE, M. C. de. Geografia: Ciência da Sociedade. Recife: Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, 2006. 244 p.

ALMEIDA, I. C. de S.; SOUZA, M. J. N. de. Convergências e Controvérsias conceituais sobre degradação ambiental/Desertificação. Revista GEOUECE, v. 2, n. 3, p. 142-156. 2013. Disponível em: < http://seer.uece.br/?journal=geouece&page=article&op=view&path%5B%5D=749>. Acesso em: 01 setembro 2020.

ARAUJO, G. H. de S.; ALMEIDA, J. R. de; GUERRA, A. J. T. Gestão Ambiental de Áreas Degradadas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 2010. p. 320

BEEKMAN, G. B. El programa de combate a la desertificación y mitigación de los efectos de la sequía en América del Sur, BID-IICA. In: ABRAHAM, E. M. e BEEKMAN, G. B. Indicadores de la Desertificación para América del Sur. Mendonza: Editorial Martín Fierro, 2006. p. 21-35.

BERTRAND, G. Paisagem e Geografia Física Global: Esboço metodológico. R. RA´E GA, Curitiba, n. 8, p. 141-152, 2004. Disponível em: < https://revistas.ufpr.br/raega/article/view/3389/2718>. Acesso em: 01 setembro 2020.

BOTELHO, R. G. M.; SILVA, A. S. da. Bacia hidrográfica e Qualidade Ambiental. In: VITTE, A. C.; GUERRA, A. J. T. (org). Reflexões sobre a Geografia Física no Brasil. 6 ed. Rio de Janeiro: Bertrand, 2012. p. 153-188.

BRANDÃO, R. de L; FREITAS, Luís Carlos Bastos (org.). Geodiversidade do estado do Ceará. Fortaleza: CPRM, 2014. p. 214.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Censo 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 outubro 2020.

IBGE. Divisão regional do Brasil em regiões geográficas imediatas e regiões geográficas intermediárias: 2017. Rio de Janeiro: IBGE, 2017.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Programa de Ação Nacional de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAN-BRASIL). Brasília: Edições MMA, 2004. p. 213.

BRASIL. Ministério de Minas e Energia. Projeto RADAMBRASIL. Folha SB.24/25. Jaguaribe/Natal. Rio de Janeiro, 1981. (Levantamento de recursos naturais).

CARVALHO, O.; NASCIMENTO, F. Recursos Hídricos e Desenvolvimento Sustentável (escala de necessidades humanas e manejo ambiental). GEOgraphya, Niterói - RJ, v. 6, n. 12, 2004. p. 111-126. Disponível em: < https://periodicos.uff.br/geographia/article/view/13482>. Acesso em: 01 setembro 2020. https://doi.org/10.22409/GEOgraphia2004.v6i12.a13482.

CEARÁ. Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (COGERH). Disponível em: . Acesso em: 20 outubro 2020.

CEARÁ. Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (FUNCEME). Disponível em: . Acesso em: 15 julho 2020.

CEARÁ. Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE). Disponível em: . Acesso em: 20 outubro 2020.

CEARÁ. Secretaria dos Recursos Hídricos. Programa de Ação Estadual de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAE-CE). Fortaleza, 2010. 374p.

CEZÁRIO, A. R. V. Degradação ambiental e suscetibilidade à desertificação no município de Tejuçuoca Ceará – Brasil. 2019. 136 f. Dissertação (mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Centro de Ciências, Universidade Federal do Ceará (UFC). Fortaleza. 2019.

CHRISTOFOLETTI, A. A aplicação da abordagem em sistemas na geografia física. Revista brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, v. 52, n. 2, p. 1- 108, abr./jun. 1990. Disponível em: < https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/115/rbg_1990_v52_n2.pdf>. Acesso em: 01 setembro. 2020.

CONTI, J. B. As relações Sociedade/Natureza e os Impactos da Desertificação nos Trópicos. Cadernos geográficos, Florianópolis, n. 4, p. 1- 42, 2002. Disponível em: < https://cadernosgeograficos.ufsc.br/edicoes-anteriores/>. Acesso em: 01 setembro 2020.

CPRM. Serviço geológico do Brasil. Mapa Geológico do Estado do Ceará. Fortaleza: CPRM, 2020. Escala: 1:500.000.

COSTA, G. CELINA - Estimativa de Temperaturas Para o Estado do Ceará. Versão 1.0. UFC, 2007.

CUNHA, S. B. da; GUERRA, A. J. T. Degradação ambiental. In: GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. da; (org.). Geomorfologia e meio ambiente. 6 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006. p. 337-375.

DANTAS, E. W. C.; et al. Nordeste brasileiro fragmentado: de uma região com bases naturais a uma fragmentação econômica. In: SILVA, J. B. da; DANTAS, E. W. C.; ZANELA, M. E.; MEIRELES, A. J. A. (org.). Litoral e Sertão: Natureza e Sociedade no Nordeste brasileiro. Fortaleza: Expressão Gráfica. 2006. p. 23-44.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Serviço Nacional de Levantamento e Conservação de Solo. Súmula da 10ª reunião técnica de levantamento de solos. SNLCS: Rio de Janeiro, 1979.

FARIAS, J. F.; SILVA, E. V.; NASCIMENTO, F. R. Caracterização de sistemas ambientais como base metodológica para o planejamento ambiental em bacias hidrográficas semiáridas. Revista GeoAmazônia, Belém, v.3, n.6, p.14-27, jul./dez. 2015. Disponível em: < http://www.geoamazonia.net/index.php/revista/article/view/83>. Acesso em: 01 setembro 2020.

GUERRA, M. D. F. A problemática da desertificação nos sertões do médio Jaguaribe, Ceará: o contexto do município de Jaguaribe. 2009. 170 f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Geografia) - Centro de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual do Ceará (UECE). Fortaleza, 2009.

GUERRA, M. D. F.; SOUZA, M. J. N.; LUSTOSA, J. P. G. Revisitando a teoria geossistêmica de Bertrand no século XXI: aportes para o gtp (?). Geografia em questão (online), Paraná, v. 5, n. 2, p. 28-42, 2012. Disponível em: . Acesso em: 01 setembro 2020.

MAIA, B. M. de A. Condições ambientais e susceptibilidade a riscos de inundações na sub-bacia hidrográfica do Rio Figueiredo, Ceará, Brasil. 2016. f.156. Dissertação (Mestrado acadêmico em Geografia) - Programa de Pós-Graduação Geografia, Centro de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual do Ceará (UECE), Fortaleza, 2016.

MATALLO JUNIOR, H. Indicadores de Desertificação: histórico e perspectivas. Brasília: UNESCO, 2001. 122p.

MONTEIRO, C. A. de F. Geossistemas: a história de uma procura. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2001. 127p.

NASCIMENTO, F. R. do. Degradação ambiental e desertificação no nordeste brasileiro: O contexto da bacia hidrográfica do rio Acaraú – Ceará. 2006. 325 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, Rio de Janeiro, 2006.

NASCIMENTO, F. R. O fenômeno da desertificação. Goiania: Ed. UGG, 2013. p. 244.

NASCIMENTO, F. R. do. FARIAS, J. F. Compartimentação geoambiental como etapa metodológica para detecção e prospecção de áreas susceptíveis à desertificação (ASDS). GEOgraphia, v. 18, n. 38, p. 120-140, 2016. Disponível em: < https://periodicos.uff.br/geographia/article/view/13776>. Acesso em: 01 setembro de 2020.

NASCIMENTO, F. R. do; SAMPAIO, J. L. F. Geografia Física, Geossistemas e Estudos Integrados da Paisagem. Revista da Casa de Geografia de Sobral. Sobral, v.6/7, nº 1, 2004/2005. Disponível em: . Acesso em: 01 setembro 2020.

OLIVEIRA, V. P. V. de. Problemática da Degradação dos Recursos Naturais dos Sertões Secos do Estado do Ceará- Brasil. In: SILVA, J. B. da; DANTAS, E. W. C.; ZANELA, M. E.; MEIRELES, A. J. A. (Orgs). Litoral e Sertão: Natureza e Sociedade no Nordeste brasileiro. Fortaleza: Expressão Gráfica, 2006. p. 209 - 232.

OLIVEIRA, V. P. V. de. Sistemas Ambientais de Santiago – Cabo Verde (África): Indicadores Biofísicos de Desertificação. In: OLIVEIRA, V. V. de; GOMES, G, I. BAPTISTA, I. RABELO, L. S. (Org.). Cabo Verde: Análise socioambiental e perspectivas para o desenvolvimento sustentável em áreas semiáridas. Fortaleza, Ed UFC, 2012. p. 37-63.

PINHEIRO, F. S. de A. Vulnerabilidade à erosão e morfodinâmica na sub-bacia hidrográfica do Rio figueiredo, CE. 170 f. Tese (Doutorado em Geografia) - Programa de Pós-Graduação em Geografia, Centro de Ciências e Tecnologia, Fortaleza Universidade Estadual do Ceará (UFC), 2015.

PINHEIRO, F. J. O Vale do Jaguaribe: de um espaço livre dos povos indígenas para uma região da pecuária. In: Propostas Alternativas: Vale do Jaguaribe, Natureza e Diversidade Cultural I, 1999, p. 12-17.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. de. Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2 ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013. p. 276. Disponível em: https://www.feevale.br/institucional/editora-feevale/metodologia-do-trabalho-cientifico---2-edicao.>. Acesso em: 01 setembro 2020.

RODRIGUES, C.; ADAMI, S. Técnicas fundamentais para o estudo de bacias hidrográficas. In: lVENTURI, L. A. B. Praticando a geografia: técnicas de campo e laboratório em Geografia e análise ambiental. São Paulo: Oficina de Textos, 2005. p. 147-166.

RODRIGUEZ, J. M. M.; SILVA, E. V. da. A classificação das paisagens a partir de uma visão geossistêmica. Mercator, Fortaleza, n. 1, v. 1, p. 95-112, 2002. Disponível em: < http://www.mercator.ufc.br/mercator/article/view/198>. Acesso em: 01 setembro 2020.

ROSS, J. L. S. Geomorfologia: ambiente e planejamento. 8 ed. São Paulo: Contexto, 2007. p 84.

SALES, V. de C. Geografia, sistemas e análise ambiental: abordagem crítica. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), v. 8, n. 2, p. 125-141, 30 dez. 2004. Disponível em: < https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/73959>. Acesso em: 01 setembro 2020.

SANTOS, J. M. dos. Indicadores de desertificação: um olhar caleidoscópico desde o contexto científico internacional e nacional. In: ARAÚJO, S. M. S. de; LIMA, E. R. V. de. (Orgs.). Desertificação no semiárido brasileiro e paraibano: abordagens conceituais, metodologias e indicadores. Paulo Afonso/BA: SABEH, 2019, p. 18-54.

SCHENKEL, C. S.; MATALLO JUNIOR, H. Desertificação. 2 ed. Brasília: UNESCO, 2003. 82p.

SILVA, E. G. B. da; OLIVEIRA, V. P. V. de. Análise das precipitações pluviométricas como indicativo de áreas susceptíveis à desertificação nos sertões de santa quitéria e independência, ceará. REDE – Revista Eletrônica do PRODEMA, Fortaleza, Brasil, v. 12, n. 3, p. 7–17, 2018. Disponível em: < http://www.revistarede.ufc.br/rede/article/view/502>. Acesso em: 10 setembro 2020. https://doi.org/10.22411/rede2018.1203.01.

SOTCHAVA, V. B. O Estudo de Geossistemas. Métodos em questão, 16. IG-USP. São Paulo, 1977, 51p.

SOUSA, M. L. M. de. Diagnóstico Geoambiental da Sub-Bacia Hidrográfica do Rio Figueiredo, Ceará: Subsídios ao Planejamento Ambiental. 2012.144f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia, Centro de Ciências, Departamento de Geografia, Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, 2012.

SOUSA, M. L. M. de. Susceptibilidade à Degradação/Desertificação na Sub-Bacia Hidrográfica do Riacho Feiticeiro (Ceará/Brasil) e na Microbacia da Ribeira Grande (Santiago/Cabo Verde). 2016. 215 f. Tese (Doutorado em Geografia). Programa de Pós-Graduação em Geografia, Centro de Ciências, Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, 2016.

SOUSA, M. L. M. de; OLIVEIRA, V. P. V. de. Histórico de uso e ocupação da terra e condições socioeconômicas da sub-bacia hidrográfica do Rio Figueiredo – Ceará. In: SOUSA, M. L. M. de; OLIVEIRA, V. P. V (Org.). A Geografia aplicada ao semiárido brasileiro: Desafios e Perspectivas. Fortaleza: Expressão gráfica e Editora, 2018, p. 257-277.

SOUSA, M. L. M. de; OLIVEIRA, V. P. V. de. Política de combate à seca e estratégias de convivência com o semiárido: o contexto do estado do Ceará. In: SEABRA, Giovanni; MENDONÇA, Ivo (org.). Educação ambiental: Responsabilidade para a conservação da sociobiodiversidade. João Pessoa: Editora Universitária da UFPB, 2011, p. 709-715.

SOUZA, A. C. N.; HENRIQUES, D. da S.; SOUSA, M. L. M. Desertificação e educação ambiental: discussão conceitual do problema na comunidade acadêmica. In: ALVES, L. da S. F.; BEZERRA, J. A.; SILVA, M. M. N. da. (org.). Sustentabilidade, Políticas Públicas e Interdisciplinaridade no Semiárido. 1º ed. Natal: CCHLA, 2019, v. 2, p. 189-200.

SOUZA, S. D. G.; SOUZA, A. C. N.; SOUSA, M. L. M. Clima, recursos hídricos, solos e vegetação como indicadores geobiofísicos de desertificação no alto/médio curso da Bacia Hidrográfica do Rio Apodi/Mossoró-RN. In: RUFINO, L. D.; SOUSA, M. L. M. de; SILVA, J. B. (Org.). Sustentabilidade, políticas públicas e interdisciplinaridade no semiárido. 1º ed. Pau dos Ferros: Rede-TER, 2020, v. 3, p. 244-256.

SOUZA, M. J. N. Bases Geoambientais e Esboço do Zoneamento Geoambiental do Estado do Ceará. In: LIMA, L. C. (Org.) Compartimentação Territorial e Gestão Regional do Ceará. Fortaleza: FUNECE, 2000, p. 06 -103.

SOUZA, M. J. N. Panorama da degradação ambiental, desertificação e entraves ao desenvolvimento sustentável do Ceará. In: PINHEIRO, D. R. de C. (org.). Desenvolvimento sustentável: desafios e discussões. Fortaleza: ABC Editora, 2006, p. 33-55.

SOUZA, M. J. N. de; OLIVEIRA, V. P. V. de. Análise ambiental – uma prática da interdisciplinaridade no ensino e na pesquisa. In: REDE – Revista Eletrônica do Prodema, Fortaleza, v. 7, n.2, p. 42-59, nov. 2011. Disponível em: < http://www.revistarede.ufc.br/rede/article/view/168>. Acesso em: 01 setembro de 2020.

SOUZA, M. J. N. de; OLIVEIRA, V. P. V. de. Semiárido do Nordeste do Brasil e o Fenômeno da Seca. In: HUBP, J. L; INBAR, M. Desastres Naturales em América Latina. México, 2002 p. 207- 221.

SUERTEGARAY, D. M. A. Espaço geográfico uno en múltiplo. Revista electrónica de geografía y ciencias sociales, Universidad de Barcelona, v. 5, n. 79-104, 2001. Disponível em: < http://www.ub.edu/geocrit/sn-93.htm>. Acesso em: 01 setembro 2020.

VEADO, R. W. A. O Geossistema: Embasamento Teórico e Metodológico (Relatório de qualificação). UNESP: Rio Claro, 1995.
Published
06/02/2022
How to Cite
SOUZA, Anny Catarina Nobre de; SOUZA, Sérgio Domiciano Gomes de; SOUSA, Maria Losângela Martins de. SEMI-ARID LANDSCAPES AND DESERTIFICATION: GEOBIOPHYSICAL INDICATORS OF RELIEF, CLIMATE AND WATER RESOURCES IN THE HYDROGRAPHIC SUB-BASIN OF RIO FIGUEIREDO, CEARÁ. Geosaberes, Fortaleza, v. 13, p. 55 - 74, feb. 2022. ISSN 2178-0463. Available at: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/1141>. Date accessed: 02 july 2022. doi: https://doi.org/10.26895/geosaberes.v13i0.1141.
Section
ARTICLES