Reestruturação urbana e segregação sócio-espacial

  • Camila Pontin NOVAES UNESP
  • Adilson Toledo BERNARDES UNESP

Abstract

A implantação de projetos urbanísticos relacionados aos Megaeventos Esportivos sediados no Brasil e dos interesses hegemônicos, superam os interesses populares relacionados ao direito à moradia. Seguindo a lógica de mercado, as necessidades de acumulação do capital superam a importância do pertencimento do indivíduo ou do grupo no seu contexto social ao lugar em questão, desalojando os indivíduos sem se preocupar com as consequências ao cotidiano dos mesmos. A reestruturação do espaço engloba os espaços de produção, os espaços de consumo e circulação, tanto quanto os espaços da reprodução. Existindo, assim, uma relação entre a reestruturação produtiva, iniciada a partir da crise do fordismo, e a reestruturação que se opera nos espaços intraurbanos e interurbanos. A partir das noções de segregação que a dinâmica capitalista de (des)apropriação do espaço urbano, e sua latente mercantilização, nota-se no presente cenário urbano brasileiro, sobretudo nas áreas de assentamentos precários, uma tendência à Reestruturação Urbana.

Palavras-chave: reestruturação urbana, segregação socioespacial, espaço urbano. 

How to Cite
NOVAES, Camila Pontin; BERNARDES, Adilson Toledo. Reestruturação urbana e segregação sócio-espacial. Geosaberes, Fortaleza, v. 6, n. 1, p. 277 - 283, july 2015. ISSN 2178-0463. Available at: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/384>. Date accessed: 06 aug. 2020.

Keywords

reestruturação urbana, segregação socioespacial, espaço urbano.