Aqui começou a história do Espírito Santo: sobre a política das imagens e da narrativa colonial fundadora dos lugares

  • Vanessa Gusmão SILVA UFES
  • Antônio Carlos QUEIROZ FILHO UFES

Abstract

Anualmente ocorrem na Prainha em Vila Velha/ES várias encenações, no feriado que comemora a “Colonização do Solo Espírito Santense”. A narrativa colonial territorializa modos de dizer e de agir nos museus, nos monumentos, nos símbolos e rituais. Nestes discursos e práticas, o “início da história” está sempre em função da chegada dos colonizadores. Fazendo coro com os estudos pós-estruturalistas e pós-coloniais, que tem como uma de suas frentes reflexivas a problematização das metanarrativas e das histórias únicas, nossa pesquisa tem por principal objetivo analisar as consequências de uma “política da espacialidade” (MASSEY, 2008) quando atreladas a constituição de uma imaginação espacial linear e eurocêntrica. Discutiremos o agenciamento das memórias e narrativas do lugar, tomando como referência autores cujo mote conceitual nos permite refletir sobre o caráter ficcional das narrativas e imagens, bem como possibilidades outras de grafar e dizer os lugares e suas imaginações espaciais.

Palavras-chave: imaginação espacial – narrativa – imagem – pós-colonial

How to Cite
SILVA, Vanessa Gusmão; QUEIROZ FILHO, Antônio Carlos. Aqui começou a história do Espírito Santo: sobre a política das imagens e da narrativa colonial fundadora dos lugares. Geosaberes, Fortaleza, v. 6, n. 1, p. 313 -324, july 2015. ISSN 2178-0463. Available at: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/388>. Date accessed: 06 aug. 2020.

Keywords

imaginação espacial – narrativa – imagem – pós-colonial