Permanence and resistance of the remaining communities of quilombos no Paraná

Abstract

In Paraná, a slavery occurred in the areas of older occupation, a slave labor was used in the cultivation of mate grass or in the practice of livestock. Where hidden slaveholdings are, quilombos have emerged and today are territories called Remaining Communities of Quilombos (CRQs). This article tries to understand the permanence and resistance of CRQs in Paraná through a bibliographical survey about the slavery process in the state, a quilombo view of a territory, the context in which CRQs emerged and their current spatiality and the strategies of resistance of the Communities With this, it was observed that a conquest of quilombola lands is a continuous process of struggle, and has as obstacles as uninterrupted threats of losses of their lands, especially due to the expansion of crops for export and areas of plantation of commercial use.

Author Biographies

Margarida de Cássia Campos, Universidade Estadual de Londrina

Professora do curso de Geografia da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Tainara Sussai Gallinari, Universidade Estadual de Londrina

Graduada em Licenciatura em Geografia pela Universidade Estadual de Londrina (UEL).

References

ANJOS, Rafael Sanzio Araújo. Quilombo: Geografia Africana – Cartografia Étnica e Territórios Tradicionais. Brasília: Mapas Editora & Consultoria, 2009.
FREITAS, Décio. O escravismo brasileiro. 2. ed. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1982.
GUTIÉRREZ, Horácio. Crioulos e africanos no Paraná, 1798-1830. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 8, n. 16, p. 161-188, 1988.
______. Donos de terras e escravos no Paraná: padrões e hierarquias nas primeiras décadas do século XIX. História, São Paulo, v. 25, n. 1, p. 100-122, 2006.
HAESBAERT, Rogério. Desterritorialização: entre as redes e s aglomerados de exclusão. In: CASTRO, Iná Elias; GOMES, Paulo César da Costa; CORRÊA, Roberto Lobato (Org.). Geografia: Conceitos e Temas. 11 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008. p. 165-206.
______. Território e Multiterritorialidade: um debate. GEOgraphia, Rio de Janeiro, n. 17, p. 19-46, 2007.
HARTUNG, Miriam. Muito além do céu: escravidão e estratégias de liberdade no Paraná do século XIX. Topoi, Rio de Janeiro, v. 6, n. 10, jan/jun. 2005. Disponível em: . Acesso em: 05 out. 2015.
ITCG. Terra e Cidadania: terras e territórios quilombolas. Curitiba: ITCG, 2008.
LEITE, Ilka Boaventura. Os quilombos no Brasil: questões conceituais e normativas. Etnográfica, Lisboa, v. 4, n. 2, p. 333-354, 2000.
MOURA, Clóvis. Quilombos: resistência ao escravismo. São Paulo: Ática, 1987.
______. Rebeliões da Senzala: Quilombos Insurreições Guerrilhas. 3 ed. São Paulo: LECH, 1981.
PADIS, Pedro Calil. Formação de uma economia periférica: o caso do Paraná. 2. ed. Curitiba: IPARDES, 2006.
RAFFESTIN, Claude. Por uma Geografia do Poder.Tradução de Maria Cecília França. São Paulo: Ática, 1993. 269 p. Tradução de: Pour uma géographiedupouvoir.
REIS, João José; SILVA, Eduardo. Negociação e Conflito: a resistência negra no Brasil escravista. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.
SILVA, Geraldo Luiz; JESUS, Jayro Pereira; MOURA, Clóvis. Contextualização e perspectiva. In: GOMES JÚNIOR, Jackson; SILVA, Geraldo Luiz; COSTA, Paulo Afonso Bracarense (org.). Paraná Negro. Curitiba: UFPR/PROEC, 2008. p. 17-21.
TERRA DE DIREITOS. Vitória Negra: Paiol de Telha conquista posse de parte do território tradicional. 2015. Disponível em: . Acesso em: 29 maio 2016.
Published
08/08/2017
How to Cite
CAMPOS, Margarida de Cássia; GALLINARI, Tainara Sussai. Permanence and resistance of the remaining communities of quilombos no Paraná. Geosaberes, Fortaleza, v. 8, n. 15, p. 131 - 142, aug. 2017. ISSN 2178-0463. Available at: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/576>. Date accessed: 05 oct. 2022. doi: https://doi.org/10.26895/geosaberes.v8i15.576.
Section
ARTICLES

Keywords

Comunidades Remanescentes de Quilombos; Paraná; Território