Formação de um patrimônio imaterial evangélico em Fortaleza, Ceará

Resumo

A pesquisa analisa as práticas rituais evangélicas, com a finalidade de registrar a formação de um patrimônio imaterial evangélico em Fortaleza, capital do Ceará, localizado no Nordeste brasileiro. A análise segue uma abordagem cultural fundamentada na geografia humanista levando em conta a cultura na compreensão da paisagem. Essa paisagem é analisada além da materialidade, para compreender as dimensões da patrimonialização através de uma metodologia que valoriza as intenções dos sujeitos, tendo dados coletados a partir da observação participante. Estes dados passaram por uma interpretação consoante à relevância das ideias, possibilitando considerações finais que refletem sobre o caráter elitista que limita as práticas culturais a moldes que controlam grupos sociais e restringem a capacidade criativa humana em nome do famigerado patrimônio cultural.

Biografia do Autor

Luiz Raphael Teixeira da Silva, Secretaria de Educação do Ceará, Brasil

Doutor em Geografia, Universidade Federal do Ceará (UFC).

Referências

BERQUE, Augustin. Être humains sur la Terre. Principes d’étique de I’écoumène. Paris: Gallimard, 1996.
____. Paisagem-marca, paisagem-matriz: elementos da problemática para uma geografia cultural. In: CORRÊA; ROSENDHAL. (orgs). Paisagem, tempo e cultura. 2ª. ed. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2004 a.
____. La trajection paysagère. in: Hypergéo, lundi, 24 mai, 2004 b.
CAUQUELIN, Anne. A Invenção da Paisagem. São Paulo: Martins, 2007.
CLAVAL, Paul. A Geografia Cultural. Florianopólis: UFSC, 1999.
CORRÊA, Roberto Lobato; ROSENDHAL, Zeny. Apresentando Leituras sobre Paisagem, Tempo e Cultura. in: CORRÊA; ROSENDHAL. (orgs). Paisagem, tempo e cultura. 2ª. ed. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2004
HERVIEU-LÉGER, Danièle. O peregrino e o convertido. A religião em movimento. Petrópolis: Vozes, 2008.
KELLNER, Douglas. A cultura da mídia. Estudos culturais: identidade e política entre o moderno e o pós-moderno. Bauru: EDUSC, 2001.
HOLZER, Werther. A geografia humanista: sua trajetória de 1950 a 1990. 1992. Dissertação (Mestrado em Geografia). Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.
______. Uma discussão fenomenológica sobre os conceitos de paisagem e lugar, território e meio ambiente. Revista Território, v. 2, n. 3, p. 77-85, jul./ dez. 1997.
LEMOS, André. Cibercultura. Porto Alegre: Sulina, 2002
LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: editora 34, 2007.
MARANDOLA Jr., Eduardo. Heidegger e o pensamento fenomenológico em geografia: sobre os modos geográficos de existência. Geografia, Rio Claro, v. 37, n. 1, p. 81-94, 2012.
MENESES, U. T. B. de. Os usos culturais da cultura. Contribuição para uma abordagem crítica das práticas e políticas culturais. In: YÁZIGI. CARLOS, Ana Fani A.; CRUZ, Rita de Cássia A. da. Turismo, espaço, paisagem e cultura. SP: Hucitec, 1996, p. 88-99.
OLIVEIRA, Christian D. M. de. Caminhos da festa ao patrimônio geoeducacional: como educar sem encenar geografia?. 1. ed. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2014, 2014. v. 1. 237p.
______. Linguagens e Ritmos da Questão Patrimonial dos “Selos” as “Salas”: um patrimônio geográfico em construção. Geograficidade, v. 3, p. 19-32, 2013.
PASSOS, João Décio. Teogonias Urbanas: os pentecostais na passagem do rural ao urbano. São Paulo Perspec. [online]. 2000, vol.14, n.4, pp. 120-128.
POULOT, D. Uma História do Patrimônio no Ocidente, Século XVII-XXI: Do Monumento aos Valores; Tradução de Guilherme João de Freitas Teixeira. São Paulo: Estação Liberdade, 2009.
Publicado
02/09/2017
Como Citar
SILVA, Luiz Raphael Teixeira da. Formação de um patrimônio imaterial evangélico em Fortaleza, Ceará. Geosaberes, Fortaleza, v. 8, n. 16, p. 142 - 160, set. 2017. ISSN 2178-0463. Disponível em: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/585>. Acesso em: 17 nov. 2018. doi: https://doi.org/10.26895/geosaberes.v8i16.585.
Seção
ARTIGOS

Palavras-chave

Patrimônio, Evangélico, Paisagem