Características geoambientais da bacia hidrográfica do Igarapé água boa do bom intento, Boa Vista, Roraima

Resumo

Roraima apresenta uma diversidade de paisagens, com fitofisionomias distintas como florestas, campinas-campinaranas e savanas, o qual constitui a maior área de campos naturais da Amazônia. O estudo dos fatores que possam causar perturbações ao ambiente aquático é fundamental para discussões e ações relacionadas a sua conservação. O objetivo do trabalho é realizar um levantamento dos fatores geoambientais que envolvem a bacia do Igarapé Água Boa do Bom Intento. As características geoambientais demostram que a bacia do Igarapé apresentam quatro tipos de solos, predominando o Argissolo Amarelo e o Latossolo Amarelo com pequena mancha de Argissolo Acinzentado e Neossolos Fluvicos, são solos frágeis a erosão e pobres quimicamente. O relevo é plano a levemente ondulado com a presença de lagos nas épocas de maior intensidade de chuvas. O clima é o tropical monçônico do tipo Awi, com altas temperaturas médias anuais de 26ºC e estação seca acentuada com pico entre dezembro e março e o período de chuvas que entre os meses de abril a setembro. O sistema de savanas é classificado em Savana Parque – Sp, Savana Graminosa ou Gramíneo-Lenhosa – Sg e outras como Ilha de Mata.

Biografia do Autor

John Eric Lemos Amorim, Universidade Estadual de Roraima

Professor efetivo da UERR, Analista Ambiental na Fundação Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos - FEMARH.

Referências

ARAÚJO, W.F. et al. Precipitação pluviométrica mensal provável em Boa Vista, Estado de Roraima, Brasil. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 5(3), 2001. p.563-567.
BARBOSA, R. I.; COSTA E SOUZA, J.M; XAUD, H.A.M. Savanas de Roraima: Referencial Geográfico e Histórico. In: BARBOSA, R. I.; XAUD, H. A; COSTA E SOUSA, J. M. Savanas de Roraima: Etnoecologia, Biodiversidade e Potencialidades Agrossilvipastoris. Boa Vista: FEMACT-RR, 2005. p. 11-19.
BARBOSA, R. I.; MIRANDA, I. S. Fitofisionomias e diversidade vegetal das savanas de Roraima. In: BARBOSA, R. I.; XAUD, H. A; COSTA E SOUSA, J. M. Savanas de Roraima: Etnoecologia, Biodiversidade e Potencialidades Agrossilvipastoris. Boa Vista: FEMACT-RR, 2005. p. 61-78.
BARBOSA, R.I et. al.. Distribuição de chuvas em Roraima. IN.: Barbosa, R.I., FERREIRA, E.J.G., CASTELLON, E.G. (eds.) Homem, Ambiente e Ecologia em Roraima. INPA, Manaus. 1997. p.325-335
BARBOSA, R.I. et al. The “Lavrados” of Roraima: Biodiversity and Conservation of Brazil's Amazonian Savannas. Functional Ecosystems and Communities. 1(1): 30-42. ISSN 1749-0502. 2007. Disponível em: acesso em 25 ago. 2016.
BARBOSA, R.I. Savanas da Amazônia: emissão de gases do efeito estufa e material particulado pela queima e decomposição da biomassa acima do solo, sem a troca do uso da terra, em Roraima, Brasil. Manaus: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia/Universidade do Amazonas. 212p. 2001. (Tese de Doutorado).
BARBOSA, R.I.; FEARNSIDE P.M. Above-ground biomass and the fate of the carbono after burning in the savanas of Roraima, Braziliam Amazonia. Forest Ecology and Management. n. 216, 2005. p.295-316.
BARBOSA, R.I.; FEARNSIDE P.M. Wood density of trees in open savanas in the Brasiliam Amazon. Forest Ecology and Management. n.199, 2004. p. 115-123.
CAPOBIANCO, J. P. R. et al. Biodiversidade na Amazônia brasileira: avaliação e ações prioritárias para a conservação, uso sustentável e repartição dos benefícios. São Paulo: Instituto Sócioambiental, 2001. 540p.
CARRANZA, T.T. Flora e fitossociologia de áreas circundantes a lagos naturais de savanas próximas à cidade de Boa Vista – RR. UFRR. Boa Vista – RR, 2006. (Monografia de Especialização)
CARVALHO, T. M. de. Sistemas e ambientes denudacionais e agradacionais, uma primeira aproximação para o estado de Roraima, Norte da Amazônia. ACTA Geográfica, Boa Vista, V.8, n.16, p. 77-98. jan./mar. de 2014.
CPRM – Serviço Geológico do Brasil, Geobank: Carta geológica do Brasil ao milionésimo - Boa Vista e Roraima. Folhas NA.20 e NB.20. 2003. Disponível em: Acesso em: 31 out. 2016.
FERREIRA, L. V. A distribuição das unidades de conservação no Brasil e a identificação de áreas prioritárias para a conservação da biodiversidade nas ecorregiões do Bioma Amazônia. 203f. 2001. Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia / Universidade do Amazonas, Manaus. Tese (Doutorado em Ecologia).
FONSECA, V. Um parque para o Lavrado de Roraima. O ECO. 2008. Disponível em: https://pib.socioambiental.org/pt/noticias?id=59599 Acesso em: 31 out. 2016.
IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua 2015. 2015. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/estadosat/perfil.php?lang=&sigla=rr. Acesso em: 17 out. 2016.
MELO, V. F. et al. Aspectos pedológicos e de manejo dos solos em Roraima. 2010. p. 391 – 408. IN. Roraima: homem, ambiente e ecologia. Barbosa, Reinaldo Imbrozio e MELO, Valdinar Ferreira (org.). Boa Vista: FEMACT, 2010.
MENESES, M.E.N.S., COSTA, M.L da; COSTA, J.A.V. Os lagos do lavrado de Boa Vista – Roraima: fisiográfia, físico-químicas das águas, mineralogia e química dos sedimentos. Revista Brasileira de Geociências. 37(3):478-489, setembro de 2007.
REIS, N. J. et al. Geologia do estado de Geologia do estado de Roraima, Brasil. Geologia de La France, Nº 2-3-4:121-134. 2003.
SANDER, C. Geomorfologia da planície aluvial do alto Rio Branco em Roraima: dinâmica e processos evolutivos. Doutorado em geografia, Universidade Estadual de Maringá,. 230 f. 2015. (Tese de doutorado)
SCHAEFER, C.E.R.; VALE JÚNIOR, J.F. Mudanças climáticas e evolução da paisagem em Roraima: uma resenha do Cretáceo ao recente. IN.: Barbosa, R.I., FERREIRA, E.J.G., CASTELLON, E.G. (eds.) Homem, Ambiente e Ecologia em Roraima. INPA, Manaus. 1997. p.231-265.
SILVA, D. A. et al. Análise dos cilcos de precipitação na região de Boa Vista – RR, nos anos de 1910 a 2014. Ver. Geogr.Acadêmica, v.9, n.2. 2015. p. 35 a 49.
SIMÕES-FILHO, F. L. et al. Registros sedimentares de lagos e brejos dos campos de Roraima: implicações paleoambientais ao longo do Holoceno. IN.: Barbosa, R.I. FERREIA, E. CASTELLÓN, E. (eds), Homem, ambiente e ecologia em Roraima. Instituto Nacional de Pesquisas da Amazonia, Manaus, 1997. p.295-305.
SIMÕES-FILHO, F. L.; TURCQ, B. e SIFEDDINE, A. Mudanças paleoambientais do contato floresta-savana de Roraima durante o holoceno. 2010. p. 257-300. IN. Roraima: homem, ambiente e ecologia. Barbosa, R.I. e MELO, V. F. (org.). Boa Vista: FEMACT, 2010.
VALE JR, J. F. do; SOUSA, M. I. L. de. Caracterização e distribuição dos solos das savanas de Roraima. IN.: BARBOSA, R. I.; XAUD, H. A; COSTA E SOUSA, J. M. Savanas de Roraima: Etnoecologia, Biodiversidade e Potencialidades Agrossilvipastoris. Boa Vista: FEMACT-RR, 2005. p. 79-91.
VELOSO et al. Vegetação. RADAMBRASIL. Programa de Integração Nacional. Levantamento de Recursos Naturais. Vol. 8. Departamento Nacional de Produção Mineral. Folha NA.20 Boa Vista e parte das Folhas NA.21, Tumicumaque, NB.20 Roraima e BB.21; Geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação e uso potencial da terra. Rio de Janeiro, 1975. p.305-405.
ZEE – Zoneamento Ecológico Econômico da Região Central do Estado de Roraima. SEPLAN – Secretaria de Planejamento do Governo do Estado de Roraima e CPRM – Serviço geológico do Brasil, Ministério de Minas e Energia. 2002.
Publicado
28/12/2017
Como Citar
AMORIM, John Eric Lemos. Características geoambientais da bacia hidrográfica do Igarapé água boa do bom intento, Boa Vista, Roraima. Geosaberes: revista de estudos geoeducacionais, Fortaleza, v. 9, n. 17, p. 1 -13, dez. 2017. ISSN 2178-0463. Disponível em: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/592>. Acesso em: 21 jan. 2018. doi: https://doi.org/10.26895/geosaberes.v9i17.592.
Seção
ARTIGOS

Palavras-chave

Cerrado; Savana; Lavrado; Amazônia.