A construção de territorialidades no âmbito da constituição das missões jesuíticas no estado do Paraná

Resumo

Na constituição do atual território do estado do Paraná houveram vários momentos históricos de grande relevância, os quais desencadearam sucessivos processos de des(re)territorialização. Uma das passagens históricas, que por vezes fica negligenciada nos documentos oficiais, é aquela que conta as relações no âmbito das missões jesuíticas que existiram no território, e que envolveram múltiplos sujeitos. O presente artigo tem como intuito discutir a construção de territorialidades no âmbito das missões jesuíticas no estado do Paraná, a partir de base teórica e de pesquisas em campo. Os vários momentos históricos tiveram sua importância na constituição de um território rico em culturas, produto da confluência entre os povos, constituído a partir dos processos de des(re)territorialização que existiram, e que continuam permanentemente ocorrendo.

Biografia do Autor

Luana Caroline Kunast Polon, Secretaria Municipal de Educação de Chapecó (SC)
Professora da Secretaria Municipal de Educação de Chapecó, SC. Mestre em Geografia (2014), Especialista em Neuropedagogia (2013) e Graduada em Licenciatura em Geografia (2011). Concentra seus estudos na área da Geografia Humana, com ênfase nos temas: Dinâmica Territorial e Conflitos Sociais em Espaços de Fronteira. Integrante dos Grupos de Pesquisa: Ensino e Práticas de Geografia (ENGEO); Cultura, Fronteira e Desenvolvimento Regional e Grupo de Estudos e Pesquisas Interdisciplinares da Localidade (GEPILO).

Referências

CURY, Mauro José Ferreira. Territorialidades Transfronteiriças do Iguassu (TTI): Interconexões, Interdependências e Interpenetrações nas cidades da Tríplice Fronteira - Foz do Iguaçu (BR), Ciudad Del Leste (PY) e Puerto Iguazú (AR). 2010. 234 f. Tese (Doutorado) - Curso de Geografia, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2010. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2018.
GREGORY, Valdir. SCHALLENBERGER, Erneldo. Guaíra: um mundo de águas e histórias. Marechal Cândido Rondon: Germânica, 2008.
HAESBAERT, Rogério. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à Multiterritorialidade. 6ª Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.
LAZIER, Hermógenes. Paraná: Terra de todas as gentes e de muita história. Francisco Beltrão: Grafit-gráfica e Editora Ltda, 2003.
POLON, Luana Caroline Künast. Villa Rica del Espiritu Santu e a Cidade de Fênix (PR): História que ressurge em meio às cinzas. Fronteiras: Revista de História, ISSN 2105-0742, Vol. 15, nº 27 – 2013. Disponível em: http://ojs.ufgd.edu.br/index.php/FRONTEIRAS/article/view/4521/2311. Acesso em 22 ago. 2018. p. 39-54.
RAFFESTIN, Claude. Por uma Geografia do Poder. São Paulo: Ática, 1993.
SCHALLENBERGER, Erneldo. Missões no Guairá: Espaço e Territorialidade nas Missões Jesuíticas do Guairá. In: Anais da VI Jornadas Internacionais sobre as Missões Jesuíticas – As missões Jesuíticas del Guairá. Cascavel: EDUNIOESTE, 1998. p. 15-30.
SCHALLENBERGER, Erneldo (Org.). Fronteiras culturais e desenvolvimento regional: novas visibilidades. Porto Alegre: Evangraf, 2010.
SCHALLENBERGER, Erneldo. Estudos Missioneiros: Temas e Abordagens. In: São Francisco Xavier: nos 500 anos do nascimento de São Francisco Xavier: da Europa para o mundo 1506-2006. da Europa para o mundo 1506-2006. Porto: Centro Interuniversitário de História da Espiritualidade, 2007. p. 27-56. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2018.
STERLING, German. A dialética dos imaginários no Guairá. In: STERLING, German. Abordagens Historiográficas na Fronteira. Foz do Iguaçu: UNIAMÉRICA, 2006. p. 171-183.
WACHOWICZ, Ruy Christovam. História do Paraná. 2ª Ed. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2010.
Publicado
17/12/2018
Como Citar
POLON, Luana Caroline Kunast. A construção de territorialidades no âmbito da constituição das missões jesuíticas no estado do Paraná. Geosaberes, Fortaleza, v. 10, n. 20, p. 1 - 11, dez. 2018. ISSN 2178-0463. Disponível em: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/697>. Acesso em: 17 jan. 2019. doi: https://doi.org/10.26895/geosaberes.v10i20.697.
Seção
ARTIGOS