A cidade é a sala de aula: ensinar/aprender geografia a partir do lugar

Resumo

O movimento de renovação teórica da Geografia ao longo do século XX e início do século XXI resultou em críticas às perspectivas tradicionais do ensino e introdução de novas orientações metodológicas. Diante disso, os docentes de Geografia da educação básica vêm empreendendo esforços para aproximar os conteúdos ensinados ao domínio espacial vivido pelos educandos. O presente trabalho visa contribuir com práticas pedagógicas que possibilitem o uso didático dos espaços urbanos de Fortaleza,dialogando com os postulados sobre percepção e corporeidade de Merleau-Ponty, onde a conjuntura existencial do estudante é o ponto de partida para a compreensão do espaço geográfico. Partindo desse princípio, desenvolvemos um conjunto de atividades na EEFM Gen. Murilo Borges Moreira, associando os conteúdos à realidade vivida pelos alunos, o que resultou numa retenção significativa dos novos aprendizados.

Biografia do Autor

Emerson Alves Arruda, Universidade Federal do Ceará (UFC), Brasil

Professor efetivo na Secretaria da Educação do Ceará (SEDUC-CE) e mestrando do Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Referências

AUSUBEL, D. P. Aquisição e retenção de conhecimentos: uma perspectiva cognitiva. 1. ed. Lisboa: Plátano, 2003.

BRASIL. Lei nº 11738, de 16 de julho de 2008. Regulamenta a alínea “e” do inciso III do caput do art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica. Disponível em: . Acesso em: 15 fev. 2019.

CAMARGO, J. C. G.; ELESBÃO, I. O problema do método nas ciências humanas: o caso da Geografia. Mercator, Fortaleza, ano 3, n. 6, ago./dez. 2004. p. 7-18

CARBONELL-CARRERA, C.; JAEGER, A. J.; SHIPLEY, T. F. 2D Cartography Training: Has the Time Come for a Paradigm Shift? ISPRS International Journal of Geo-Information, [s.l.], v. 7, n. 5, p.1-13, may 2018. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/ijgi7050197.

CARLOS, A. F. A. Apresentação. In: ______ (Org.). Novos caminhos da Geografia. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2007. p. 7-8.

DANTAS, E. W. C. Maritimidade nos trópicos: por uma Geografia do Litoral. Fortaleza: Edições UFC, 2009.

______. Litoralização do Ceará: Fortaleza, da “Capital do Sertão” à “Cidade do Sol”. In: SILVA, J. B. et. al. (Orgs.). Litoral e Sertão: natureza e sociedade no nordeste brasileiro. 1. ed. Fortaleza: Expressão Gráfica, 2006. p. 269-277.

DELORS, J. (Coord.). Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez editora, 1998.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 1992.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 34. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

GELPI, A.; SCHÄFFER, N. O. Guia de percurso urbano. In: CASTROGIOVANNI, A. C. et. al. (Orgs.). Geografia em sala de aula: práticas e reflexões. 1. ed. Porto Alegre: AGB – Seção Porto Alegre, 1998. p. 113-124.

HOLZER, W.; HOLZER, S. Cartografia para crianças: qual é o seu lugar? In: SEEMAN, J. A aventura cartográfica: perspectivas, pesquisas e reflexões sobre a Cartografia Humana. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2005. p. 201-217.

LACOSTE, Y. A Geografia – isso serve, em primeiro lugar, para fazer a guerra. Tradução de Maria Cecília França. Campinas: Papirus, 1988.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

MONBEIG, P. Novos estudos de Geografia humana brasileira. São Paulo: Difel, 1957.

NOBRE, L. Estoril – Vila Morena. 2010. Disponível em: < http://www.fortalezanobre.com.br/2010/04/estoril-vila-morena.html>. Acesso em: 15 jun. 2017.

OLIVEIRA, C. D. M. Do Estudo do Meio ao turismo geoeducativo: renovando as práticas pedagógicas em Geografia. Boletim goiano de Geografia, Goiânia, v. 26, n. 1, jan./jun. 2006.

______. Sentidos da Geografia Escolar. Fortaleza: Edições UFC, 2009.

PONTUSCHKA, N. N. A Geografia: pesquisa e ensino. In: CARLOS, A. F. A. (Org.). Novos caminhos da Geografia. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2007. p. 111-142

SANTOS, M. A Natureza do Espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Hucitec, 1997.

SOARES, F. M. Como preservar a paisagem: a Educação Ambiental com caminho. In: CLAUDINO-SALES, V. Ecossistemas brasileiros: manejo e conservação. Fortaleza: Expressão Gráfica e Editora, 2003.
Publicado
01/09/2019
Como Citar
ARRUDA, Emerson Alves. A cidade é a sala de aula: ensinar/aprender geografia a partir do lugar. Geosaberes, Fortaleza, v. 10, n. 22, p. 238 - 252, set. 2019. ISSN 2178-0463. Disponível em: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/832>. Acesso em: 16 set. 2019. doi: https://doi.org/10.26895/geosaberes.v10i22.832.
Seção
ARTIGOS