A experiência do inseticida natural na horta escolar como contribuição ao ensino de geografia

Resumo

Essa pesquisa tem como principal objetivo analisar a contribuição da experiência da produção e uso de inseticida natural na horta da escola pública, no combate as formigas cortadeiras (Saúvas), como contribuição ao ensino de geografia dos alunos do Ensino Fundamental (do 8º e 9º ano). Trata-se de uma pesquisa qualitativa do tipo estudo de caso etnográfico. O trabalho está estruturado em duas partes. Na primeira - Ecologia e Conscientização: caminhos para o exercício da cidadania - apresenta uma retrospectiva do ambientalismo na política global e escolar, no qual o trabalho de geografia foi essencial ao combinar, sequencialmente, a sociedade das formigas cortadeiras comparando-a com a sociedade humana até os dias atuais. Mostra, também, Os Caminhos da Pesquisa: O Estudo de Caso Etnográfico.Na segunda parte - A experiência do inseticida natural na horta da Escola Nilson Holanda – registra a experiência pedagógica desenvolvida em uma escola pública do município de Fortaleza. Por último, apresenta as considerações finais, discutindo a necessidade de uma tomada de consciência em relação à geografia em conjunto com a educação ambiental para o aumento da formação e das ações humanas, tendo como base a horta da escola e a sociedade local, mostrando o esforço pessoal e coletivo nessa conscientização. 

Biografia do Autor

Cristiane e Castro Feitosa Melo, Universidade Estadual do Ceará, Brasil

Doutora em Geografia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE) e Professora da Escola Municipal Nilson Holanda

Referências

BRASIL. Câmara dos Deputados. Decreto nº 4.281, de 25 de junho de 2002. Regulamenta a Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999, que institui a Política Nacional de Educação Ambiental, e dá outras providências. Disponível em < http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2002/decreto-4281-25-junho-2002-459149-norma-pe.html > Acessado em março de 2016.
BRASIL, Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais – Geografia. Brasília: Ministério da Educação, 1998.
BRASIL, Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais – Temas Transversais. Brasília: Ministério da Educação, 1998.
BRASIL, Senado Federal. Constituição da República Federativa do Brasil. 2. ed. Brasília: Subsecretaria de Edições Técnicas, 1988.
BRASIL, Senado Federal. Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento Humano – UNCED 92. Agenda 21. Brasília: Senado Federal, 1994.
FACULDADE DE EDUCAÇÃO/UFC. VII Seminário Cultura de Paz, Educação e Espiritualidade. Universidade Federal do Ceará: Livro de Resumos, Fortaleza, p. 41, dez. 2016. Disponível em < https://ufcculturadepaz.webnode.com.br/ > Acessado em março de 2016.
FÓRUM GLOBAL 92. Tratado de educação ambiental para sociedades sustentáveis e responsabilidade local. Aprovado no Fórum Internacional das Organizações Não-Governamentais e Movimentos Sociais no âmbito do Fórum Global Eco-92. Rio de Janeiro: Fórum das ONGs, 1992.
MELO, C. C. F. A Reciclagem do Lixo Urbano como Contribuição à Educação Ambiental no Ensino Fundamental. Monografia (Especialização em Metodologia do Ensino de Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Educação – UECE, Fortaleza, 1999.
______. A Reciclagem do Lixo Urbano como Contribuição ao Ensino de Geografia. Universidade Federal do Ceará: Revista Geosaberes, Fortaleza, v. 3, n. 5, p. 37-46, jan./jun. 2012.
______. Práticas Produtivas e de Conservação Ambiental no Reordenamento Territorial do Alto Jaguaribe - Ceará. Tese (Doutorado em Geografia) – Programa de Pós-Graduação em Geografia – UECE, Fortaleza, 2015.
MORAES, Alexandre de. Constituição do Brasil e Legislação Constitucional. Interpretada, São Paulo, n. 4, p. 34 - 66, 2004.
VIOLA, Eduardo J.; LEIS, Héctor R. Meio Ambiente, Desenvolvimento e Cidadania: desafios para as Ciências Socais. São Paulo: Cortez, 1995.
Publicado
17/12/2018
Como Citar
MELO, Cristiane e Castro Feitosa. A experiência do inseticida natural na horta escolar como contribuição ao ensino de geografia. Geosaberes, Fortaleza, v. 10, n. 20, p. 1 - 14, dez. 2018. ISSN 2178-0463. Disponível em: <http://geosaberes.ufc.br/geosaberes/article/view/661>. Acesso em: 20 maio 2019. doi: https://doi.org/10.26895/geosaberes.v10i20.661.
Seção
ARTIGOS